Adoção deve ser um ato de amor!

Folheando a revista Vida Simples de abril vimos uma matéria bacana onde a repórter Débora Zanelato escreve sobre a cidadezinha de MASCALUCIA, que fica na província de Catania, na Itália. Nela, existe uma lei que reduz os impostos de seus moradores em 50% se adotarem um cãozinho ou um gato abandonado. O bônus segue por três anos após a adoção. O objetivo é economizar as altas quantias gastas pelo Governo no cuidado destes animais e trazer afeto para a vida deles.

Aqui no Brasil, no ano passado, alguns Projetos de Lei que já foram aprovados e outros em votação, em municípios de MG, SC e RS também concedem desconto aos humanos que adotarem os peludos. Só que com um percentual bem menor que o da comuna italiana, em torno de 8%.

A Laila prontamente deu alguns latidos e interviu dizendo que não achou a ideia muito boa e como ela não consegue digitar os teclados do computador, pois suas patinhas pegam sempre quatro letras por vez, pediu para eu escrever os por quês dela não concordar com isso.

Por mais bonitinha que seja essa ideia, no nosso país pode não funcionar. Se hoje, sem os descontos, alguns humanos nos adotam e depois nos deixam de lado, não nos alimentam direito e ainda nos maltratam, imagina quantas pessoas podem abusar desta lei só para se dar bem, sem nem pensar na nossa saúde. E tem mais, se a lei diz que só será concedido o desconto para quem cuidar bem da gente, quero saber quem vai fiscalizar? Até eu, que sou canina, sei como órgãos públicos funcionam no nosso Brasil.  Minha mãe me conta tudinho que acontece. Mas mesmo assim, eu adoro morar aqui. Já lá na Itália, pode ser diferente. Tem algum peludo italiano por aí para ajudar?

É! Acho que a Laila tem razão, eu pensaria bem antes de aprovar essa lei por aqui. E você, o que pensa disso?